terça-feira, 27 de novembro de 2012

Eu olho para o céu e peço forças


Eu olho para o céu e peço forças.
Não preciso de forças para derrubar quem me fez mal.
Não preciso de força para enfrentar o que vier em minha direção.
Eu preciso de forças para controlar a tristeza que vem a tona ao ter que revirar em algo que eu matei dentro de mim.
Reviver cada palavra de ofensa de pessoas que deveriam ajudar e, que no entanto, também vieram contra mim por não conhecerem a verdade que teve que ser escondida até o último minuto para que a justiça pudesse ser cumprida.
Não foi fácil ser portadora do meu futuro.
Não foi fácil construir uma história.
Não foi fácil aguentar tanta pressão.
Não é fácil ter que sorrir enquanto a vontade de chorar é muito maior.
Não é fácil enfrentar o que está guardado dentro de mim. É um sentimento que sufoca, que vai matando aos poucos.
Agradeço ao povo da fé que me acolheu com todos os problemas e acendeu dentro de mim a chama da esperança, da vontade de ir em frente,por me aceitar pelo meu coração, por não me julgar e condenar como todos os outros, independente do que eu tinha para oferecer.
Hoje eu vejo o povo de Deus como a minha família, esta família espiritual que está sempre de braços e portas apertas para acolher.

Verdadeiramente bom é Deus para com Israel, para com os limpos de coração.
Quanto a mim, os meus pés quase que se desviaram; pouco faltou para que escorregassem os meus passos.
Pois eu tinha inveja dos néscios, quando via a prosperidade dos ímpios.
Porque não há apertos na sua morte, mas firme está a sua força.
Não se acham em trabalhos como outros homens, nem são afligidos como outros homens.
Por isso a soberba os cerca como um colar; vestem-se de violência como de adorno.
Os olhos deles estão inchados de gordura; eles têm mais do que o coração podia desejar.
São corrompidos e tratam maliciosamente de opressão; falam arrogantemente.
Põem as suas bocas contra os céus, e as suas línguas andam pela terra.
Por isso o povo dele volta aqui, e águas de copo cheio se lhes espremem.
E eles dizem: Como o sabe Deus? Há conhecimento no Altíssimo?
Eis que estes são ímpios, e prosperam no mundo; aumentam em riquezas.
Na verdade que em vão tenho purificado o meu coração; e lavei as minhas mãos na inocência.
Pois todo o dia tenho sido afligido, e castigado cada manhã.
Se eu dissesse: Falarei assim; eis que ofenderia a geração de teus filhos.
Quando pensava em entender isto, foi para mim muito doloroso;
Até que entrei no santuário de Deus; então entendi eu o fim deles.
Certamente tu os puseste em lugares escorregadios; tu os lanças em destruição.
Como caem na desolação, quase num momento! Ficam totalmente consumidos de terrores.
Como um sonho, quando se acorda, assim, ó Senhor, quando acordares, desprezarás a aparência deles.
Assim o meu coração se azedou, e sinto picadas nos meus rins.
Assim me embruteci, e nada sabia; fiquei como um animal perante ti.
Todavia estou de contínuo contigo; tu me sustentaste pela minha mão direita.
Guiar-me-ás com o teu conselho, e depois me receberás na glória.
Quem tenho eu no céu senão a ti? e na terra não há quem eu deseje além de ti.
A minha carne e o meu coração desfalecem; mas Deus é a fortaleza do meu coração, e a minha porção para sempre.
Pois eis que os que se alongam de ti, perecerão; tu tens destruído todos aqueles que se desviam de ti.
Mas para mim, bom é aproximar-me de Deus; pus a minha confiança no Senhor DEUS, para anunciar todas as tuas obras.
Salmos 73:1-28

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Eu apenas escolho por quais lutas valem a pena lutar

Carrego na minha essência a fúria,a ira, a raiva.
Nasci para lutar.Carrego no olhar e na minha estrutura um força que transborda em meu ser.
Estes sentimentos provam o quanto sou forte, o quanto tenho aumentado o meu poder.
Eu conheço quem eu sou quando estes sentimentos afloram e transbordam.Me torno extremamente irracional e violenta.Desconheço o ser em que me transformo.
O que tem me feito forte não é deixá-los expostos e dominarem a forma de agir e de pensar,muito pelo contrário,o que me torna forte tem sido a forma como eu consegui anular e apagar esta ira, esta fúria mediante inúmeras afrontas e injustiças que me rodeiam.
Sou forte por acima de tudo usar a razão e não a emoção.Sou forte por usar de outras armas que tem se mostrado mais eficazes nas lutas que enfrento no dia-a-dia.
Uso a perseverança para manter a minha marcha firme rumo a vitória que eu busco.
Uso da fé como escudo para tudo que tenta me atingir.
Uso da razão para derrubar um por um dos meus inimigos.
A minha força não está na explosão, a minha força está no meu auto-controle, na minha certeza,na minha capacidade de analisar tudo antes de agir.
Não recuo diante das adversidades,eu bato de frente e derrubo as muralhas e as barreiras que se levantam.
Não provoco guerras,não me envolvo em contendas,desvio dos caminhos maus;mas não fujo das lutas,não burlo meus problemas,não temo ameaças.Eu apenas escolho por quais lutas valem a pena lutar porque "medalha sem honra enferruja no peito". 


A prudência do homem faz reter a sua ira, e é glória sua o passar por cima da transgressão.
Provérbios 19:11


terça-feira, 13 de novembro de 2012

Me vi numa linha divisória de dois mundos

Hoje,enquanto caminhava tive uma visão muito clara de onde é o meu lugar de verdade.
Me vi numa linha divisória de dois mundos, num campo de batalha.
De um lado o mundo espiritual,onde as pessoas vivem na fé e lutam para permanecer nela.
Do outro o mundo material, onde as pessoas desconhecem a Deus e vivem nas trevas.
Me vi ali naquela linha caminhando entre eles, como sentinela, aguardando o meu momento de agir.
Sou aquele guardião que fica na fronteira, que avista o perigo e parte para a ação no primeiro instante de ameaça da ordem natural das coisas.
Por ter pertencido aos dois mundos, carrego na bagagem o que há de melhor e pior dos dois.
Sempre tive um olhar crítico das coisas, sempre analisei tudo e todos e, por conhecer a essência  de cada um, muitos se afastam e se calam por medo.
Tenho o dom de desvendar o que há de oculto, vejo as coisas antes que elas aconteçam.Este é o meu lado sobrenatural, este é o meu lado espiritual.
Por não saber quem eu era, me desliguei por um período e me entreguei as coisas que estão no mundo, este mundo louco que não possui freios e que todos os dias anseia por algo novo.Cansei deste mundo, vi que ali não era o meu lugar, que não havia sentido para as coisas que aconteciam nele.Este é o meu lado material e que hoje eu reconheço como sendo a treva.
Consegui filtrar o que há nos dois e guardei o que era  verdadeiro e que faz sentido na vida.Não podemos nos desligar totalmente de tudo, pois afinal de contas viemos ao mundo para viver nele; o grande problema talvez seja que muitos caem de paraquedas neste mundo e acabam se perdendo entre viver e fazer parte dele.
Sigo no meu posto sozinha, pronta para puxar a mão daquele que está na treva e que estende o braço implorando por socorro,mas ao mesmo tempo olho para o outro lado e estou pronta para oferecer resistência àquele que está prestes a atravessar a linha e voltar a vida de engano e sofrimento.
Sigo meus dias no meu posto,na minha vida, na minha luta com a certeza de quem eu sou e por que razão eu vim ao mundo predestinada a possuir este dom.


Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns.
E eu faço isto por causa do evangelho, para ser também participante dele.
Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis.
E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, uma incorruptível.
Pois eu assim corro, não como a coisa incerta; assim combato, não como batendo no ar.
Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado.
1 Coríntios 9:22-27


quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Não, eu não sou ruim, eu sinto pena sim!


Já me apontaram o dedo e disseram: você é fria,não tem dó de ninguém.
Não, eu não sou ruim, eu sinto pena sim!
Sinto por aqueles que assim como eu, levantam todos os dias para enfrentar a vida, mesmo sem vontade, muitas vezes doentes e desencorajados,mas que mesmo assim estão firmes e de pé.
Tenho pena daquele pai que gasta sola de sapato o dia inteiro em busca de alguns trocados para manter a casa enquanto seu filho é criado pelo mundo e que raramente vê seu pai porque quando ele chega o filho já está dormindo.
Tenho pena daquela mãe que foi abandonada pelo companheiro e que cria seu filho sozinha nos braços de pessoas contratadas pelo governo para tomar conta das crianças nas creches e escolas.
Tenho dó daquele aposentado que trabalhou uma vida inteira para obter uma vida digna e que tem o seu dinheiro levado na porta do banco pelas mãos dos assaltantes e golpistas.
Eu sinto por aqueles que buscam, que batalham e que muitas vezes são tratados de forma injusta porque seu patrão não teve uma boa relação em casa e desconta nos seus funcionários a  frustração dos seus problemas.
Sinto por aqueles que trabalham o dia todo e que buscam a noite em cursos,trabalhos extras por algo que mude suas vidas e que  possa realizar seu sonho através de coisas simples que muitos possuem e não dão valor.
Não tenho pena de vagabundo, não tenho dó de malandro, nem escuto as reclamações daqueles que passam os dias se lamentando e, quando tem uma oportunidade, nada fazem para mudar esta situação.
Não existe problema que não tenha solução, basta querer!

Se vires em alguma província opressão do pobre, e violência do direito e da justiça, não te admires de tal procedimento; pois quem está altamente colocado tem superior que o vigia; e há mais altos do que eles.
Eclesiastes 5:8