quinta-feira, 23 de maio de 2013

Na história anterior (serial killer do amor) é possível perceber alguns indícios de que há algo de errado no comportamento do namorado e que ela devia considerar antes de sequer pensar em casamento. 

Para que um relacionamento dê certo deve haver, por parte das duas pessoas, pelo menos o mínimo necessário para mantê-lo. Claro que existem muitos fatores que envolvem um relacionamento, contudo, para que ele faça sentido e funcione, é preciso pelo menos essas cinco condições básicas:



Segurança - O marido e a esposa têm de passar segurança um para o outro, em todos os aspectos. Se não há segurança quanto aos sentimentos do parceiro, não pode haver um bom relacionamento. Se uma das partes faz questão de deixar claro que existem outras prioridades, então não é inteligente continuar investindo nessa relação. No caso do homem, a esposa precisa sentir nele segurança, como o provedor e líder do lar.

Fidelidade - É o mínimo que se pode esperar de alguém com quem se pretende dividir sua vida. Se já no namoro existem indícios de infidelidade, como no exemplo citado acima, não será o casamento que irá “consertar” o caráter dele ou dela. Muitas vezes o namorado ou a namorada já apresenta razões para desconfiança e ainda assim a pessoa insiste naquele relacionamento na esperança de que, com o casamento, o comportamento dele ou dela mude. Isso não vai acontecer. Se antes ela já não atendia a essas condições mínimas para estar num relacionamento, não será com o casamento que isso vai acontecer.

Vale ressaltar que a traição não é caracterizada apenas quando existe a relação sexual com outra pessoa. Só pelo fato de a pessoa na sua mente desejar outra, já está cometendo adultério. Isso é bíblico. Ver pornografia também é um tipo de infidelidade.

Honestidade - O relacionamento não pode ser construído com mentiras. É importante observar que todos esses itens se relacionam entre si. Se há mentira, não pode haver segurança. De nada adianta ter uma e não ter a outra, até porque, se não há fidelidade, automaticamente não haverá segurança e muito menos honestidade. Não pode haver segredos entre o casal, nem partes da vida em oculto, tem que haver total transparência.

Respeito - Respeitar a pessoa amada é tomar suas decisões e atitudes considerando sempre o que ela pensa e sente. É estar sempre preocupado em mostrar o quanto ela é importante em sua vida. O desrespeito acontece quando você ignora seus sentimentos e o que suas ações vão causar a ela. A pornografia, por exemplo, é uma forma de desrespeito, assim como ficar de bate-papo na internet com outras mulheres.

Disposição em lutar pelo relacionamento - Esse último cobre todos os outros problemas que podem ocorrer dentro de um relacionamento. Por quê? Digamos que seu parceiro cometeu um desses erros, mas você decidiu perdoá-lo e dar a ele uma nova chance. Nesse caso tem que haver nele uma predisposição para mostrar que se arrependeu, não apenas com palavras, mas, sobretudo, com atitudes. Tem de haver uma mudança de comportamento, do contrário, não faz sentido essa nova chance.

Leia também:

E foram felizes para sempre... Será?
Decepção no amor
"A Escola do Amor" em mar aberto
Todos esses itens são o mínimo exigido para que haja um relacionamento. Se a pessoa não é capaz de dar o mínimo necessário para que ele exista, então ela não está apta para estar em um.

Relacionamento é uma troca, envolve dar e receber, é uma união de pessoas com os mesmos objetivos e interesses. Todo tipo de relacionamento, afetivo ou não, exige reciprocidade. Se uma das partes não oferece o básico necessário para uma boa convivência, o relacionamento se torna difícil.

O próprio Deus exige essa reciprocidade para ter um relacionamento conosco. Embora Ele nos ame de forma incondicional, o relacionamento com Ele não é incondicional. Para que haja esse relacionamento, Ele exige obediência à Sua Palavra, do contrário, nada feito.

Há pessoas que há anos vêm insistindo numa relação onde não há da outra parte nenhum esforço de mudança. E de fato não vai haver enquanto houver tolerância à sua má conduta.

Pessoas assim não estão habilitadas para estar num casamento. Mentirosos, traidores e viciados em série que não demonstram o mínimo desejo de mudar.

Se você está ao lado de uma pessoa com esse perfil - um serial killer dos relacionamentos - e tem convivido com a infidelidade e o desrespeito da parte dela, saiba que não haverá mudança enquanto houver tolerância da sua parte.

A decisão é sua. Pense nisso.
"Serial killer" do amor
Conheça as condições básicas para que um relacionamento exista
Por Jeane Vidal 
Ele é charmoso, sedutor e galante. Às vezes me surpreende em dias comuns. Envia-me flores sem motivo aparente, me leva para jantar fora no meio da semana ou simplesmente me telefona para dizer que está com saudades. É tão perfeito que parece não ser real.

Não gosta de falar do passado, diz que o presente é o que importa e que eu sou o seu presente.

É tão educado. Vez por outra percebo que ele se afasta de mim quando atende ao celular. Diz que não quer me incomodar com assuntos de trabalho.

Outro dia me ligou desmarcando o nosso encontro. Disse que precisava visitar um cliente importante. Sempre tão comprometido com o trabalho!

Nesse mesmo dia, uma amiga me telefonou dizendo ter visto ele acompanhado de uma mulher num restaurante fino, próximo ao trabalho dela. Claro que eu não acreditei. Pessoas invejosas são assim mesmo. Não suportam ver as outras felizes que já arrumam um meio de estragar tudo.

Antes de dormir, eu liguei no celular dele como de costume para lhe desejar boa noite, mas, que pena, caiu na caixa postal. Coitadinho, devia estar muito cansado e foi dormir mais cedo.

No dia seguinte fomos jantar fora. Ao chegar ao restaurante, um garçom muito simpático veio nos recepcionar, dizendo: "A mesma mesa de ontem, senhor?"

- Como assim? Você esteve aqui ontem? - Perguntei.

Ele, calmamente e com um sorriso nos lábios respondeu: “Pois é amor, esqueci-me de lhe contar. Acredita que aquele cliente que fiquei de visitar ontem na última hora me ligou pedindo para encontrá-lo aqui?”

- Ah, então a Simone me falou a verdade quando me disse tê-lo visto aqui... Agora eu entendi. Você não me disse que esse cliente era uma mulher. Também se esqueceu de me contar isso?

- Claro que não querida! Por que essa desconfiança agora? Eu seria incapaz de mentir pra você. Eu fui pego de surpresa. Quando cheguei aqui o cliente havia mandado a secretária dele no lugar porque surgiu um imprevisto na última hora e ele não pode vir. O que foi? Não confia em mim?

- Desculpe-me, claro que confio.

Não era a primeira vez que as atitudes do namorado deixavam-na desconfiada. Mas ela preferia fazer vistas grossas. Recusava-se a enxergar. Era mais cômodo alimentar aquela imagem de namorado perfeito, afinal, ela o amava tanto, e ele já havia inclusive falado de casamento. Não ia estragar tudo.

Pura ilusão.

quarta-feira, 22 de maio de 2013



Os seus discípulos, ouvindo isto, admiraram-se muito, dizendo: Quem poderá pois salvar-se?
E Jesus, olhando para eles, disse-lhes: Aos homens é isso impossível, mas a Deus tudo é possível.
Então Pedro, tomando a palavra, disse-lhe: Eis que nós deixamos tudo, e te seguimos; que receberemos?
E Jesus disse-lhes: Em verdade vos digo que vós, que me seguistes, quando, na regeneração, o Filho do homem se assentar no trono da sua glória, também vos assentareis sobre doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel.
E todo aquele que tiver deixado casas, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou terras, por amor de meu nome, receberá cem vezes tanto, e herdará a vida eterna.
Porém, muitos primeiros serão os derradeiros, e muitos derradeiros serão os primeiros.
Mateus 19:25-30




Um dia já cansado eu disse:
Pai eu não quero mais ser prisioneiro da maldade.
E Ele me chamou de filho!
Pedi perdão,me humilhei,chorei,como eu chorei...
E Ele foi fiel comigo.
Arrancou aquela tristeza que doía.

terça-feira, 21 de maio de 2013

REVELOU SER UM EXÍMIO RELIGIOSO, MAS NÃO UM CRISTÃO VERDADEIRO

1. Quando o jovem foi incentivado por Jesus a guardar os mandamentos, asseverou que os vinha guardando desde a sua mocidade. Sua conduta religiosa nos mostra claramente o quanto ele era preocupado com o destino de sua alma. Para tanto, procurava guardar os mandamentos instituídos pelo Senhor, através de Moisés.

2. Observe a lista de mandamentos citada pelo Senhor, e a afirmativa do jovem: "...Não matarás, não cometerás adultério, não furtarás, não dirás falso testemunho; Honra teu pai e tua mãe, e amarás o teu próximo como a ti mesmo ...Tudo isso tenho guardado desde a minha mocidade...", vs. 18-20. Não podemos acreditar que sua afirmação fosse verdadeira, uma vez que ele, como qualquer ser humano, não tinha condições de guardar literalmente os mandamentos. Porém tal fato nos mostra o quanto o moço era preocupado em agradar a Deus.

3. Cremos que há muitas pessoas que agem da mesma maneira que agiu este moço. Na ânsia de agradarem a Deus, procuram praticar sua religião com uma disposição incrível – Dedicam-se a rituais, penitências, esmolas, etc., porém suas almas estão vazias de Deus!
O verdadeiro sentido da vida em Deus não é o fazer, mas o ser, embora como filhos de Deus devamos também praticar um cristianismo autêntico. Lembre-se: "...a fé sem obras é morta", Tg 2.26.
Fonte:http://estudos.casadosenhor.com.br/estudo.asp?id=239
Esta parábola iguala a "vida eterna" com a entrada no Reino de Deus.
A expressão "buraco de uma agulha" tem sido interpretada como sendo um portão em Jerusalém, que abria após o portão principal ter se fechado à noite. Uma camelo só poderia passar por este portão, menor, se se agachasse e fosse descarregado. Esta história tem sido apresentada desde pelo menos o século XV e, possivelmente, desde o século IX. Porém, não há nenhuma evidência da existência de tal portão.
Variações sobre a história incluem uma versão sobre antigas estalagens tendo portões pequenos para atrapalhar bandidos ou uma história sobre um passo entre as montanhas conhecido como "olho da agulha", tão estreito que os mercadores teriam que desmontar de seus camelos, ficando assim vulneráveis a salteadores.
Jesus e o jovem rico
Jesus e o jovem rico é um episódio da vida de Jesus que trata da vida eterna. Ele nos três evangelhos sinóticos, em Mateus 19:16-30, Marcos 10:17-31 e Lucas 18:18-30. É neste episódio que Jesus faz referência a um camelo passar pelo buraco de uma agulha antes que um rico entre no reino dos Céus, uma frase que se tornaria uma de suas mais famosas expressões.

No Evangelho de Mateus, um jovem rico pergunta a Jesus quais atos levariam à "vida eterna". Primeiro Jesus recomenda ao rapaz que obedeça aos mandamentos. Quando ele responde que já os observa, Jesus então acrescenta:
“ «Se queres ser perfeito, vai vender tudo o que tens, e dá-o aos pobres, e terás um tesouro nos céus; depois vem seguir-me.» (Mateus 19:21) ”

No Evangelho de Lucas, a reação foi uma das frases mais conhecidas de Jesus:
“ «Jesus, olhando-o, disse: Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas! Pois mais fácil é passar um camelo pelo fundo de uma agulha, do que entrar um rico no reino de Deus.» (Lucas 18:18-30) ”
Os discípulos então perguntam a Jesus quem poderá ser salvo, ao que Ele responde: "O que é impossível aos homens, é possível a Deus."

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Pregação do Evangelho, cura dos enfermos e libertação dos oprimidos, se não forem governados pela Justiça, estarão fadados ao fracasso.

De que adianta fazer caridades, ajudar os pobres, orar, jejuar, ler a Bíblia e ser assíduo na igreja se há prática de prostituição, adultério, roubo, mentira, etc.?

De que adianta ganhar os outros e perder a própria alma?

De que adianta falar em línguas estranhas e mentiras ao mesmo tempo?

Jesus advertiu:
"Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; devíeis, porém, fazer estas coisas, sem omitir aquelas!" Mateus 23.23.

Justiça significa vida justa, honrada, correta, ilibada, separada do pecado.

O autêntico cristianismo exige que suas atitudes sejam pautadas na justiça.

Nem a misericórdia nem a fé são capazes de superar a justiça.

O que adianta manifestar amor e fé (profetizar, expelir demônios e fazer muitos milagres em o Nome do Senhor), e viver no erro, na injustiça?

"Nem todo o que Me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de Meu Pai, que está nos céus.
Muitos, naquele dia, hão de dizer-Me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em Teu Nome, e em Teu Nome não expelimos demônios, e em Teu Nome não fizemos muitos milagres?
Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de Mim, os que praticais a iniquidade." Mateus 7.21-23

Senhor, Senhor… (só crentes consideram Jesus como Senhor);

Profetizar... (pregar o Reino de Deus);

Expelir demônios...;

Fazer muitos milagres... (curar enfermos, etc.)

Em Nome de Jesus são obras de amor e fé.

Contudo, de que valem se junto com elas também há manifestação de mau caráter?

O veredito desses supostos cristãos será: nunca vos conheci!

A prática de boas obras não dá o direito de viver na iniquidade.

Sem fé é impossível agradar a Deus? Sim!

Mas, se esse tipo de fé é acompanhada de pecados, pecadinhos ou pecadões, com certeza tal fé agrada muito ao diabo.

Deus é Justo, é Luz, é Santíssimo, é Puro.

Como aceitará comunhão com a injustiça? Com as trevas? Com o profano? Com o impuro?

Que proveito tem o adúltero, o promíscuo ou o injusto de fazer a "Obra" de Deus?

Que proveito tem o mentiroso de pregar a verdade?

Que proveito tem o enganador de ensinar a Bíblia?

Que proveito tem o mau caráter uniformizado de obreiro ou obreira de "ajudar" os outros?

É possível tais obras encobrirem seus pecados?

Fonte: blog Bispo Macedo

Questão a cerca do divórcio

Questão a cerca do divórcio

Então chegaram ao pé dele os fariseus, tentando-o, e dizendo-lhe: É lícito ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo?
Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Não tendes lido que aquele que os fez no princípio macho e fêmea os fez,
E disse: Portanto, deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, e serão dois numa só carne?
Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem.
Disseram-lhe eles: Então, por que mandou Moisés dar-lhe carta de divórcio, e repudiá-la?
Disse-lhes ele: Moisés, por causa da dureza dos vossos corações, vos permitiu repudiar vossas mulheres; mas ao princípio não foi assim.
Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de fornicação, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério.
Disseram-lhe seus discípulos: Se assim é a condição do homem relativamente à mulher, não convém casar.
Ele, porém, lhes disse: Nem todos podem receber esta palavra, mas só aqueles a quem foi concedido.
Porque há eunucos que assim nasceram do ventre da mãe; e há eunucos que foram castrados pelos homens; e há eunucos que se castraram a si mesmos, por causa do reino dos céus. Quem pode receber isto, receba-o.

sábado, 18 de maio de 2013

Por isso o reino dos céus pode comparar-se a um certo rei que quis fazer contas com os seus servos;
E, começando a fazer contas, foi-lhe apresentado um que lhe devia dez mil talentos;
E, não tendo ele com que pagar, o seu senhor mandou que ele, e sua mulher e seus filhos fossem vendidos, com tudo quanto tinha, para que a dívida se lhe pagasse.
Então aquele servo, prostrando-se, o reverenciava, dizendo: Senhor, sê generoso para comigo, e tudo te pagarei.
Então o senhor daquele servo, movido de íntima compaixão, soltou-o e perdoou-lhe a dívida.
Saindo, porém, aquele servo, encontrou um dos seus conservos, que lhe devia cem dinheiros, e, lançando mão dele, sufocava-o, dizendo: Paga-me o que me deves.
Então o seu companheiro, prostrando-se a seus pés, rogava-lhe, dizendo: Sê generoso para comigo, e tudo te pagarei.
Ele, porém, não quis, antes foi encerrá-lo na prisão, até que pagasse a dívida.
Vendo, pois, os seus conservos o que acontecia, contristaram-se muito, e foram declarar ao seu senhor tudo o que se passara.
Então o seu senhor, chamando-o à sua presença, disse-lhe: Servo malvado, perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste.
Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti?
E, indignado, o seu senhor o entregou aos atormentadores, até que pagasse tudo o que devia.
Assim vos fará, também, meu Pai celestial, se do coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas.
Mateus 18:23-35

Não se canse de perdoar!


Quantas vezes se deve perdoar um irmão?

Então Pedro, aproximando-se dele, disse: Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete?
Jesus lhe disse: Não te digo que até sete; mas, até setenta vezes sete.
Mateus 18:21-22

Não se canse de perdoar!

sexta-feira, 17 de maio de 2013

terça-feira, 14 de maio de 2013

Qual é o seu propósito?
Qual é a sua crença?
Por que a sua organização existe?
Por que você sai da cama pela manhã?
E por que alguém deveria se importar?

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Pare de adiar decisões importantes!
Porque tomá-las custa muito caro,
Mas não tomá-las custa tudo.

terça-feira, 7 de maio de 2013

Eis aqui por que é tão importante o jejum e a oração.

Eis aqui por que é tão importante o jejum e a oração.
Muitos sofrem,pessoas que até então tinham e viviam uma vida normal e do nada são consideradas loucas...
Vale a pena refletir nesta passagem!
"E, quando chegaram à multidão, aproximou-se-lhe um homem, pondo-se de joelhos diante dele, e dizendo:
Senhor, tem misericórdia de meu filho, que é lunático e sofre muito; pois muitas vezes cai no fogo, e muitas vezes na água;
E trouxe-o aos teus discípulos; e não puderam curá-lo.
E Jesus, respondendo, disse: O geração incrédula e perversa! até quando estarei eu convosco, e até quando vos sofrerei? Trazei-mo aqui.
E, repreendeu Jesus o demônio, que saiu dele, e desde aquela hora o menino sarou.
Então os discípulos, aproximando-se de Jesus em particular, disseram: Por que não pudemos nós expulsá-lo?
E Jesus lhes disse: Por causa de vossa pouca fé; porque em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e há de passar; e nada vos será impossível.
Mas esta casta de demônios não se expulsa senão pela oração e pelo jejum."
Mateus 17:14-21

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Tome sobre si a sua cruz, e siga-me;

Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo,
tome sobre si a sua cruz, e siga-me;
Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á.
Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? Ou que dará o homem em recompensa da sua alma?
Porque o Filho do homem virá na glória de seu Pai, com os seus anjos; e então dará a cada um segundo as suas obras.
Em verdade vos digo que alguns há, dos que aqui estão, que não provarão a morte até que vejam vir o Filho do homem no seu reino.
Mateus 16:24-28

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Jesus profetiza sua morte


Jesus profetiza sua morte
O primeiro aviso ocorre em Marcos 8:31-33 (e Mateus 16:21-28), em algum lugar perto de Cesareia de Filipe, imediatamente após a confissão de Pedro (quando o apóstolo proclama que Jesus é o Messias). Jesus:
Então começou a ensinar-lhes que era necessário que o Filho do homem padecesse muitas coisas, que fosse rejeitado pelos anciãos, pelos principais sacerdotes e pelos escribas, que fosse morto e que depois de três dias ressuscitasse.
Quando Pedro tentou admoestá-lo, Jesus disse: "Sai de diante de mim, Satanás, porque não cuidas das coisas de Deus, mas sim das dos homens." . Em Lucas 9:22-27 aparece uma versão mais curta, que contém a predição, mas não o diálogo entre Jesus e Pedro.
Cada vez que Jesus prediz a sua paixão, os discípulos demonstram não compreender de alguma forma, mas Jesus sempre se utiliza da ocasião para ensinar-lhes coisas novas . Assim, a segunda vez ocorre em Marcos 9:30-32:
«O Filho do homem será entregue às mãos dos homens, e tirar-lhe-ão a vida; e depois de morto, ressurgirá ao terceiro dia. Mas eles não compreendiam estas palavras, e temiam interrogá-lo.» (Marcos 9:30-32)
O terceiro episódio aparece nos três evangelhos sinóticos (em Mateus 20:17-19, Marcos 10:32-34 e Lucas 18:31-34), já perto de Jerusalém, e menciona especificamente a crucificação. Segundo o Evangelho de Mateus:
«Estando Jesus para subir a Jerusalém, chamou à parte os doze, e em caminho lhes disse: Eis que subimos a Jerusalém, e o Filho do homem será entregue aos principais sacerdotes e aos escribas; eles o condenarão à morte e o entregarão aos gentios para ser escarnecido, açoitado e crucificado, e ao terceiro dia ressuscitará.» (Mateus 20:17-19)